terça-feira, 13 de janeiro de 2015

The Season´s Port Wine: Burmester 40 years old "Tordiz" Tawny Port



   Burmester 40 years old Tawny Port  © HSM archives    
     

      For an exceptional season, an exceptional Port wine.
    The end of December to the new year´s eve is always a very special season to the world of Port wine and to confirm the importance given by consumers (I´am thinking about the Portuguese market), just remember that the port wine producers have about 30% of the annual sales (and billing), around Christmas and new Year.


    My choice was the Burmester 40 years "Tordiz" Tawny Port (bottled in 1991).

   First, the definitions: a 40 years old Tawny Port is a red port wine, a blend, with the indication of age and aged in wood. It is the result of a combination of wines, a blend of wines, the so-called blending art. And a blend can include 10 to 15 different wines but in the case of the 40 years old tawny, these wines are always older than 40 years, as the label description clearly states "over 40 years old" (could also include the designation "muito velho" or "very old").
    For other tawny ports with indication of age(10, 20, 30 years), the age indicated reflects the average age of the wines included in the final blend, that reflects the profile of each house (so, for example, the blend of a Tawny 10 years, may include a 8 years old wine and a 14 years old wine ...). These wines can be labeled "velho" or "old".
    The idea of ageing a Tawny Port wine in wood casks, is not to imbue the wine with the taste of wood, but rather to allow oxygenation and oxidation.

     The wines are bottled ready to drink, the wine does not improve with the years in bottle.

    The Tawny Port with indication of age bottle labels (or back labels) must indicate the year or date of bottling.

   Theses very old Tawny Port wines aged in small casks, are the art of the blend expression, perfected over the years, in this case by Burmester House. They are the quintessence of Tawny Port style (the decades of evaporation originates a high concentrated wine) and are always prepared in very small quantities.

    We can consider the Burmester house(*) as a recognized expert in colheita Port wines and old and very old tawnies, who regularly brings to market.



© HSM archives
© HSM archives






















   In the analysis of this Burmester over 40 years old "Tordiz" Tawny Port, the designation "Tordiz" refers to the confluence of the rivers "Torto" and "Mendiz" (in the Cima Corgo Douro sub-region).

    Although I'm not an expert in the wine sensory analysis, far from it, I´ll risk a trial. And my personal impressions of this Tawny 40 years are as follows:

  • Previous point: before serving, the wine should be slightly refreshed (or more accuratly: between 10ºC and 14ºC), whereas the wine quiIckly acquires the room temperature.
  • Colour: wine has a beautiful amber color or golden brown with greenish reflections (hard to tell in the photograph), which are the characteristics attributed to Port wines aged for many years in wood.

A reasonable approach to a tasting chamber table © HSM archives   


  • Aroma/nose: The aroma is very intense, rich and complex, and what the experts call the "old wine aroma", with suggestions of honey and nuts (walnuts and almonds).
  • Taste/mouth: is unctuous, you can almost chew it, very rich and full, raisin, honey and nuts flavoured.

     With a very long and intense finish.

    This is a wine that can and should be enjoyed alone, without the harmonization suggested for a wine of this style (nuts, the traditional Portuguese Christmas fruit cake called "bolo-rei/king cake" or even chocolate).

    After opening, you can  keep it easily up to 4 months (I hope that this is a purely theoretical question).


© HSM archives
                                               



--------------------------------------------------


(*) Currently Burmester is included in Sogevinus group, which also includes the Kopke , Calém, Barros and Gilbert's houses.



© HSM archives


# O vinho do Porto da época: Burmester Tawny 40 anos "Tordiz"


    Para uma época excepcional, um vinho do Porto excepcional.
  A época que passou é sempre muito especial para o mundo do vinho do Porto e a confirmar a importância que é dada pelos consumidores (falo do mercado português), basta lembrar que os produtores de vinho do Porto têm cerca de 30% das vendas (e facturação) anual, na época do Natal e ano novo.
   
   A minha escolha foi o Burmester Tawny 40 anos "Tordiz" (engarrafado em 1991).

  Antes de mais, as definições: um vinho do Porto Tawny 40 anos, é um vinho do Porto tinto, de lote, com indicação da idade e envelhecido em madeira. É o resultado de uma combinação de vinhos, de um lote de vinhos, a chamada arte do lote. E um lote pode incluir 10 a 15 vinhos diferentes mas, no caso do Tawny 40 anos, esses vinhos têm sempre idades superiores a 40 anos, como a descrição do rótulo claramente informa com a designação "over 40 years old" (poderia também incluír a designação "muito velho/very old").
   No caso dos restantes tawnies com indicação de idade (10, 20, 30 anos), a idade indicada traduz a idade média dos vinhos que compõem o lote que espelha o perfil de cada casa produtora (assim, por exemplo, o lote de um  Tawny 10 anos, pode incluír um vinho com 8 anos e outro com 14 anos...). Estes vinhos podem mencionar no rótulo "velho/old".
    A ideia do envelhecimento em madeira, não é impregnar o vinho com o sabor da madeira, mas antes permitir a oxigenação e oxidação do vinho.

   São vinhos engarrafados prontos para o consumo, não envelhecem e não evoluem ou melhoram com os anos em garrafa.
   O rótulo (ou contra-rótulo) dos vinhos do Porto Tawny com indicação de idade deve indicar o ano ou data de engarrafamento.

   Os vinhos do Porto muito velhos, envelhecidos em pequenos cascos, são a expressão da arte do lote, do blending da casa produtora, aperfeiçoada ao longo dos anos, neste caso, da casa Burmester. São a quinta-essência do estilo Tawny (as décadas de evaporação conferem uma grande concentração ao vinho) e são sempre elaborados em quantidades muito reduzidas.
            
   Podemos considerar a casa Burmester (*) como especialista reconhecida em vinhos do Porto colheita e Tawnies velhos e muito velhos, que lança regularmente no mercado.
            
   Na análise deste Burmester Tawny over 40 years old "Tordiz", a designação "Tordiz", refere-se à confluência dos rios "Torto" e "Mendiz" (na sub-região do Cima Corgo).

    Apesar de não ter pretensões a especialista na análise sensorial de vinhos, longe disso, arrisco um ensaio. Aqui vai então a minha impressão pessoal deste Tawny 40 anos:

  • Ponto prévio: antes de servir, o vinho deverá ser ligeiramente refrescado (se tivermos de precisar: entre os 10ºC e os 14ºC), considerando que o vinho rapidamente adquire a temperatura ambiente.
  • Côr: o vinho tem uma bonita côr ambar ou castanho dourado, com reflexos esverdeados (difíceis de perceber na fotografia), que são a característica atribuída aos vinhos envelhecidos durante muitos anos em madeira.
  • Aroma: o aroma é muito intenso, rico e complexo, aquilo a que os especialistas chamam o aroma a "vinho velho", com sugestões de mel e frutos secos (nozes e amêndoas).
  • Sabor: é untuoso, quase que se mastiga, rico e cheio, sentem-se uvas em passa, mel e nozes.

       Com um final de boca intenso e muito longo.

     É um vinho que pode e deve ser apreciado isoladamente, sem as harmonizações sugeridas para um vinho deste estilo (frutos secos, bolo-rei, chocolate).
           
      Após a abertura, o vinho conserva-se sem dificuldade, até 4 meses (aqui, espero que se trate apenas de uma questão teórica).

---------------------------------------
    (*) actualmente a Burmester está incluida no grupo Sogevinus, que também integra as casas Kopke, Calém, Barros e Gilbert´s.

©HSM